Mês Mariano Diocesano - Bispo preside Missa pelos 60 anos de consagração da Diocese à Imaculada Conceição

Diocese de Nova Friburgo, 31 de maio de 2022
Acessos: 334


‘O Anjo do Senhor anunciou a Maria. E ela concebeu do Espírito Santo... Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a vossa Palavra... E o Verbo se fez carne. E habitou entre nós’.

Iniciando com a oração do Ângelus, às 12h de 27 de maio, o Bispo Diocesano, Dom Luiz Antonio Lopes Ricci, presidiu a Santa Missa pelos 60 anos de consagração da diocese à sua padroeira, a Imaculada Conceição. A celebração aconteceu na Catedral Diocesana São João Batista, em Nova Friburgo, com transmissão AO VIVO pelas redes sociais da diocese (Facebook e YouTube).

 

“Na hora da mãe aqui estamos reunidos... Neste dia festivo, de ação de graças, recordamos nosso saudoso primeiro Bispo, Dom Clemente Isnard, que fez a consagração da Diocese à Imaculada Conceição”, declarou o Bispo nos primeiros minutos da celebração.

Falando a respeito do Mês Mariano Diocesano, iniciado em 29 de abril, tempo no qual a diocese celebrou os 60 anos de sua consagração à Imaculada Conceição, Dom Luiz Antonio recordou a todos que o coroamento de mês festivo aconteceria neste mesmo dia, porém a noite, com a Ordenação Presbiteral do Diácono César Gomes Agostinho Junior e a renovação da consagração feita em 27 de maio de 1962.

Refletindo sobre o sim de Maria, disse.

- Todos nós estamos grávidos, gestando algo novo e através da nossa fé gestar algo novo. Primeiramente em nós, depois na sociedade. Estamos todos grávidos de Deus, grávidos do amor, gestando uma realidade nova. Esse é o desejo de Deus a começar por nós. Eu tenho que ser uma nova criatura. Eu tenho que me autogestar, vamos assim dizer. Tenho que nascer do alto, nascer de novo... Estamos todos em gestação, todos grávidos em trabalho de parto, sentindo dores, sofrendo com a dor do outro. É impossível ser indiferente, não ter compaixão, não sofrer com quem sofre! Jesus sempre demonstrou proximidade, compaixão para com os que mais necessitavam.

 

Destacando as virtudes de Maria, serva boa e fiel, recordou tantos que se colocam a serviço da vida, saem correndo como Maria, que foi servir sua prima Isabel, e fez um convite à comunidade.

 - Vamos ajudar o próximo! Tem muita coisa boa acontecendo. Temos sinais de treva? Temos, mas temos muitos sinais de luz, sinais pascais. Vamos acreditar que Jesus pode transformar nossa tristeza em alegria. Vamos levar à frente nossa gestação, dar a luz a algo novo, a começar por nós, sejamos novas criaturas. Que a partir da nossa fé no ressuscitado e conduzidos pelo Espírito Santo, não pelas nossas vontades e ideologias, possamos contribuir para que nasça uma nova realidade, uma sociedade mais justa e fraterna, menos desigual, de respeito, de não aceitação da violência. Somos um povo pela vida e a favor da vida. 

“Boa festa para todos nós! Seja um dia festivo, de ação de graças. Peço a Nossa Senhora que nos acompanhe, acompanhe a nossa Diocese para que, como ela, possamos nos colocar como servidores para fazer a vontade de Deus”, desejou o Bispo, concluindo a pregação.

Antes da bênção final, o Bispo renovou solenemente a consagração da Diocese de Nova Friburgo à Nossa Senhora Imaculada Conceição.  O Bispo também mencionou a presença dos funcionários da Cúria Diocesana na celebração, representando todos os funcionários das diversas paróquias da Diocese.

 

Texto:Grasiele Guimarães
Foto:Grasiele Guimarães

 


Compartilhe